Como importantes parceiros estratégicos dos CEOs (Chiefs Executive Officers), os CFOs (Chiefs Financial Officers) também devem assumir o papel de gerar valor para a empresa. Você sabe como fazer isso?

Por anos, o CFO esteve mais envolvido em tarefas da contabilidade diária, das contas a pagar à elaboração de demonstrativos financeiros. Agora, o profissional tem foco maior na conquista de dados que orientam os rumos de um negócio e a tomada de decisões.

É com base nas transformações vividas pelos diretores financeiros que fizemos este post sobre como esse profissional pode agregar mais valor para a empresa. Acompanhe!

Alinhamento de finanças e estratégias

Como mencionado, os CFOs eram vistos como profissionais puramente envolvidos em tarefas financeiras burocráticas. Seu papel era controlar as finanças e acompanhar o cumprimento das obrigações fiscais da empresa.

Esse tipo de cenário não dava abertura para que os diretores financeiros participassem da construção de ideias para o negócio. Por isso, eles não conseguiam agregar valor para a empresa como podem fazer agora.

Hoje, a atividade dos CFOs é vista como mais estratégica para viabilizar a conquista dos objetivos que a empresa tem. Por isso, é tarefa do profissional da área coletar e compilar dados que indiquem como esses objetivos podem ser alcançados, o que falta e quais oportunidades a empresa deve abraçar para o seu crescimento.

Identificação de riscos

Como haveria de ser, o trabalho de apontar caminhos está relacionado ao de apontar riscos que naturalmente surgem a cada nova oportunidade de crescimento. A atuação estratégica do diretor financeiro também precisa ocorrer aqui.

Assim, apostar em sua capacidade de análise é uma forma que os CFOs têm de gerar valor para a empresa. Mais do que identificar esses riscos, o profissional precisa quantificá-los e, como indica o relatório da Accenture, sugerir formas financeiramente eficientes de minimizá-los.

Todo esse processo, assim como o de alinhamento entre finanças e estratégias, baseia-se em dados. Considerando a complexidade do mercado financeiro e do mercado corporativo em geral, os CFOs precisam de dados em volume e em qualidade. Algo que envolve conhecer bem o negócio e saber como extrair informações dele.

Avaliação e escolha de tecnologias

A missão que os CFOs têm de agregar valor para a empresa depende do uso de boas tecnologias de coleta e análise de dados. É por essa razão que a digitalização das finanças foi assunto de destaque nos últimos anos e assim permanece.

A adoção de ferramentas de automação não apenas simplifica processos e torna a parte burocrática do trabalho do diretor financeiro mais fácil de ser concluída. Esse tipo de sistema permite que a empresa tenha informações cada vez mais completas sobre seus negócios e o mercado do qual participa.

A capacidade de lidar com essas tecnologias faz parte dos desafios que foram apresentados para os CFOs, desde que sua atuação estratégica ganhou força. Porém, além de saber usar uma ferramenta, o diretor financeiro precisa saber orientar a escolha da solução correta para uma empresa.

Assim, o profissional gera valor para a empresa não apenas no processo de implementação da tecnologia, mas extraindo o melhor dela diariamente. Algo que contribui para melhorar as análises que definem o futuro dos negócios.