Toda empresa enfrenta certos tipos de riscos financeiros. Tais riscos têm a ver com as operações financeiras da organização e envolvem retornos em investimentos e negociações abaixo das expectativas, além de problemas na gestão do fluxo de caixa.

Os riscos financeiros podem ser classificados como: de crédito, operacional, cambial, de taxa de juros e de financiamento.

1. Crédito

Um dos tipos de risco financeiro mais significativos é aquele relacionado ao crédito. Esse risco tem a ver com a confiabilidade financeira que uma empresa apresenta diante de um credor.

Antes de realizar empréstimos a uma instituição (ou pessoa), as instituições financeiras verificam os riscos que ela oferece. Maior risco, mais juros.

Outro risco do crédito ocorre em empresas que vendem através de faturamento por boleto: elas podem entregar os pedidos e não receberem o pagamento, ou parte dele.

Em relação a crédito, a dica é construir uma boa reputação diante de fornecedores e outros credores: mantenha as contas em dia.

2. Operacional

Entre os tipos de risco financeiro, também há o operacional.

Quando falamos em riscos operacionais em uma empresa, estamos nos referindo a prejuízos advindos de funcionários, sistemas, processos e fatores externos.

Atente-se para o bom funcionamento e a boa qualidade dos equipamentos utilizados, a eficiência dos funcionários e, em especial, para a área de tecnologia: ela é um fator muito importante atualmente.

Pesquisa da Gartner (2018) mostrou que 46% dos CIOs brasileiros já passaram ou estão passando por mudanças nos modelos de negócios, adequando-se à Era Digital ou terceira Era de TI.

Procure ter um banco de dados contendo falhas presentes e possíveis, além de especificações para o bom funcionamento de cada atividade.

3. Cambial

Em termos de riscos financeiros de uma empresa, o mercado cambial não pode ser minimizado, visto que é o maior mercado financeiro existente.

Este mercado realiza operações através dos maiores bancos comerciais do mundo, sendo a taxa de câmbio correspondente ao valor obtido na troca de uma moeda por outra.

Riscos do mercado financeiro de câmbio são ligados às oscilações nas taxas de câmbio, que ameaçam as finanças das empresas nacionais em negociações com o Exterior. Ou seja: a incerteza quanto ao valor de uma moeda é o maior risco.

Como diminuir esse risco? Planejamento estratégico e gerenciamento eficaz propiciam maior segurança em negociações envolvendo moedas diferentes, com redução de custos e mais lucros.

4. Taxa de juros

A variação das taxas em um investimento, relacionado à possibilidade de perda de potencial em razão de oscilações nas taxas de juros, é outro dos tipos de risco financeiro.

Quem determina a rentabilidade dos fundos prefixados é o Banco Central (BACEN), através da variação dos preços dos títulos em carteira de cada fundo.

Quando a taxa de juros aumenta, o valor dos títulos prefixados diminui. Essa redução, por sua vez, incide sobre o valor da cota e a rentabilidade do fundo.

Caso as taxas de juros sejam diminuídas, ocorre um aumento do valor dos títulos em carteira.

5. Financiamento

Qualquer financiamento envolve riscos, tanto para quem o concede como para quem o contrata. Por isso, esse é mais um dos tipos de risco financeiro que qualquer empresa enfrenta.

As instituições financeiras, em geral, são rigorosas ao analisar pedidos de financiamentos e de empréstimos, considerando minuciosamente os riscos financeiros do negócio.

Aqui entra a confiabilidade da empresa e também a responsabilidade de seus negociadores de conhecer os perigos e viabilidades da transação, estando aptos a obter linhas de crédito com taxas de juros mais acessíveis e prazos mais longos.

Enfim, é impossível evitar certos riscos financeiros de uma empresa, mas é possível gerenciá-los, avaliá-los e mensurá-los. Esse processo pode ser realizado com probabilidades e estatísticas que identifiquem processos e situações problemáticos.